Buscar

Vício em trabalho pode ser um grande problema para sua empresa



Ei, você dos Recursos Humanos, vamos bater um papo? Hoje o assunto é o vício no trabalho e como ele também pode ser um vilão entre os colaboradores da sua empresa.

Qual gestor não gostaria de ter uma equipe super motivada, unida e pronta para o que der e vier? Pois é… o que pode ser um desafio ainda maior que montar uma equipe assim, é conseguir o equilíbrio entre os dois pontos.

Se, por um lado, podemos nos deparar com colaboradores desmotivados e fora de foco. Por outro, podemos experimentar a obsessão pelo trabalho.

Ter no time aquele funcionário que trabalha quase 24 horas por dia, que está on-line o tempo todo, que responde e-mails de madrugada e manda mensagens no grupo do trabalho em pleno almoço de domingo em família.

Sabe de quem eu estou falando? Do Workaholic, o viciado em trabalhar.

Ter um workaholic na empresa tem pontos negativos?


Infelizmente, sim. O senso comum nos diz que um funcionário viciado em trabalho poderia ser a boa resposta para muitos problemas, afinal ele seria uma pessoa assídua, presente em todas as reuniões e pronta para ajudar a resolver os problemas dele e de todos à sua volta.

Mas, na prática não é bem assim.

Os pontos negativos de um workaholic dentro da empresa são vários e muito fáceis de serem percebidos, mesmo a curto prazo:

  1. O trabalho pesado, sem descanso, cobra um preço alto: a exaustão. Muito provavelmente seu funcionário é uma pessoa exausta, que delega pouco, nunca pede ajuda e está colocando a sua saúde e vida familiar em segundo plano.

  2. É cansativo para os outros colegas de trabalho. Convenhamos, ser colega de uma pessoa workaholic é super desmotivante e drena a energia dos demais que estão na equipe. Não importa o quanto todos se esforcem, o workaholic está sempre na frente, querendo mostrar mais trabalho, entregando uma produtividade difícil de competir.

  3. Ele tende a querer "crescer" acima dos demais. Ou, tomar para si uma tarefa que deveria ter sido em grupo. Afinal, se o funcionário não descansou, não dormiu bem e trabalhou enquanto fazia suas refeições é óbvio que ele tenha um "volume" maior de trabalho que os seus colegas. Mas, quantidade não significa qualidade.

  4. O workaholic não gosta das pausas, dos feriados emendados ou do happy hour na quinta feira. Ele prefere ficar até tarde terminando uma coisa que não pode ficar para amanhã. No final, a equipe toda se frustra porque sabe que no dia seguinte ele vai estar cansado, estressado e não será uma boa companhia no trabalho.

Enfim, lidar com um viciado em trabalho é cansativo para todos os envolvidos além de ser um hábito perigoso, que traz transtornos a curto e longo prazo. Pode levar a depressão e outras doenças de cunho emocional.

Quais são as medidas que devem ser adotadas para lidar com um workaholic?


Já vimos que apesar de parecer um bom negócio a todos os envolvidos, ter um workaholic por perto é prejudicial sim e faz com que a roda toda gire de forma descompensada.

Para o workaholic - propriamente dito - será um desafio ainda maior, pois ele precisará, primeiramente, aceitar que este é um tipo de vício e que precisa de ações específicas para lidar com ele.

O pessoal do RH e a turma ao redor podem ajudar nessa missão, se comprometendo com a saúde física e emocional de todos da equipe. Algumas atitudes simples já ajudam muito no resultado final:

  1. Aprendam e incentivem que deleguem tarefas uns para os outros. O hábito de pedir ajuda é sensacional para equilibrar as angústias e o sentimento de "não conseguir dar conta de tudo sozinho". Um ambiente colaborativo é sempre mais produtivo.

  2. Valorizem o tempo em família, com atividades sociais. Os famosos papéis sociais (de amigo, de irmão, de filho, de pai ou de mãe, de neto…) são importantes para uma vida equilibrada.

  3. Ajudem a equipe a definir um calendário de tarefas e o que precisa ser feito no dia, na semana e no mês. Priorize o que está com prazo curto e ajude o workaholic a lidar com o sentimento de deixar para amanhã.

  4. Evitem a cultura de levar trabalho para casa. Em tempos de trabalho remoto isso é ainda mais desafiador. Tenha bastante definida qual a carga horária diária de trabalho.

  5. Promovam ações entre os colaboradores que fortaleçam os momentos de descontração, de interatividade e lazer. Ensinar uma equipe a trabalhar junto é importante, mas ensinar uma equipe a descansar e relaxar juntos pode ser ainda mais efetivo para o bem estar dos envolvidos.

No fim, a nossa dica é: não incentive e nem banalize um funcionário workaholic. Certamente a saúde e a vida pessoal dele estão sofrendo as consequências desse excesso de trabalho.

A GameSe pode ajudar?


Sim! Somos uma empresa que promove campeonatos gamers. Já pensou em como uma ação do RH seria interessante para dar uma sacudida na rotina dos funcionários workaholics?


As ações do RH em parceria com a GameSe criam aquela sensação boa de descanso mental, acompanhada da satisfação em saber que sua empresa investe no bem estar das equipes e valoriza tempo em off dos funcionários.

O Benefício GameSe - GameSe Pass - pode ser a chave que faltava para destravar os prazeres de se socializar e relaxar com os colegas de trabalho.

Se você ficou interessado e quer saber como levar o GameSe Pass para seus colaboradores, fale com a Keli.




Ela está pronta para te atender, ouvir as dores do seu RH e, quem sabe, juntos acharem bons momentos de interatividade, bem estar e alta produtividade entre seus colaboradores através da GameSe.

GameSe com a gente!





14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo